ESPECIALIDADES
FICOU COM DÚVIDAS? ENTRE EM CONTATO
Adolescente
Psicoterapia para Adolescentes   Como na psicoterapia para crianças, o principal objetivo da psicoterapia comportamental para adolescentes é promover mudanças no comportamento. Mudar o comportamento significa ajudar o adolescente a se tornar consciente, ou seja, discriminar a função dos comportamentos em sua vida e decidir muda-los para obter uma vida melhor.  As sessões com os adolescentes são individuais, mas há possibilidades dos pais serem chamados para algumas sessões em conjunto, por isso, é de extrema importância a participação dos pais nesse processo.   
Adulto
Psicoterapia para Adultos   A psicoterapia comportamental para adultos também tem como foco a mudança de comportamentos disfuncionais que estão lhe trazendo sofrimentos psíquicos, emocionais e físicos. Há momentos da vida, que nos deparamos com situações onde é difícil lidar sozinho com os problemas, por isso, faz-se necessário a ajuda de um profissional. A psicoterapia oferece a oportunidade de o paciente entrar em contato consigo mesmo, aprofundando seu autoconhecimento, melhorando sua comunicação e autoestima, dentre outros objetivos.   
Casal
Psicoterapia para Casal   As crises conjugais podem acontecer por diversos fatores, gerando um acúmulo de mágoas com o passar do tempo. As crises mais comuns estão relacionadas à dificuldades de comunicação, brigas constantes, problemas individuais, expectativas diferentes quanto à relação, ciúmes, traição, divergências na educação dos filhos e na resolução de problemas cotidianos, distanciamento e falta de afetividade, perda do interesse sexual pelo parceiro (a), dentre outros.  Um dos objetivos da terapia de casal é melhorar a performance relacional, modulando comportamentos disfuncionais para a promoção do bem estar do casal.  Na primeira sessão é feita uma anamnese para identificar a demanda do casal, com base na anamnese será realizado um plano terapêutico para alcançar as mudanças necessárias para um casamento satisfatório.       
Últimas
Notícias

Síndrome do Pânico



O que é? A síndrome do pânico é um transtorno psicológico em que ocorrem crises inesperadas e frequentes de desespero, pavor e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou sinais de perigo iminente. Essas crises fazem com que o indivíduo não leve uma vida normal, pois ele tem medo de que as crises voltem e evitam situações de perigo. Por exemplo, se a crise ocorreu em um elevador, é comum o paciente não querer mais voltar a utilizar o elevador no trabalho ou em casa.   Causas A Ciência acredita que um conjunto de fatores possa desencadear o desenvolvimento deste transtorno, como: Genética; Estresse; Temperamento forte e suscetível ao estresse; Mudanças na forma como o cérebro funciona e reage a determinadas situações.   Sintomas Ataques de pânico característicos da síndrome geralmente acontecem de repente e sem aviso prévio, em qualquer período do dia e também em qualquer situação, como enquanto a pessoa está dirigindo, fazendo compras no shopping, em meio a uma reunião de trabalho ou até mesmo dormindo. O terror toma conta do seu corpo, o seu coração dispara, você se sente sufocado, com tontura, tremores, faltar de ar, e para completar as suas pernas ficam bambas, aparece a sensação de que o ambiente é perigoso, de que você vai morrer ou ter um ataque cardíaco ou derrame, ou mesmo, ficar louco para sempre e perder o controle. O pico das crises de pânico geralmente dura cerca de 10 a 20 minutos, mas pode variar dependendo da pessoa e da intensidade do ataque. Além disso, alguns sintomas podem continuar por uma hora ou mais. É bom ficar atento, pois muitas vezes um ataque de pânico pode ser confundido com um ataque cardíaco. As crises de pânico geralmente manifestam os seguintes sintomas: Sensações de falta de ar ou sufocamento; Tontura e fraqueza; Aumento da frequência cardíaca; Palpitações; Aumento da produção de suor; Sensação de calor ou calafrio; Dor no peito ou no estômago; Formigamento; Tremores; Náusea ou desconforto abdominal; Medo de perder o controle ou enloquecer; Medo de morrer ou de uma tragédia iminente; Sensação de perigo iminente, dentre outros sintomas.   Diferença entre Síndrome do Pânico e Ansiedade A síndrome do pânico é um tipo específico de transtorno dentro dos quadros ansiosos. Costuma ocorrer em crises, isto é, vêm "do nada" e de forma muito intensa. A ansiedade é um estado mais constante, portanto é um estado menos sujeito a variações, altos e baixos e crises, que a síndrome do pânico. A principal diferença está nas gradações, no modo como a ansiedade se distribui. É importante ressaltar que um quadro ansioso pode evoluir para um quadro de pânico e vice-versa.   Tratamento A Síndrome do pânico é diagnosticada por um psiquiatra a partir da avaliação dos sintomas apresentados. Se você teve ou tem qualquer sintoma típico de crises de pânico, procure ajuda o quanto antes. Os ataques são difíceis de controlar por conta própria e podem piorar se não houver acompanhamento de um profissional e tratamento adequados.  O principal objetivo do tratamento da Síndrome do Pânico é reduzir o número de crises, assim como sua intensidade e recuperação mais rápida. As duas principais formas de tratamento para esse transtorno é por meio de psicoterapia e medicamentos. Ambos têm se mostrado bastante eficientes.  Existem diversas formas de psicoterapia, sendo a mais estudada e que comprovadamente tem efeitos benéficos nesse transtorno a chamada de Psicoterapia Comportamental. Ela poderá ajudar o paciente a entender os ataques de pânico, a como lidar com eles no momento em que acontecerem, ajuda o paciente a aprender diferentes maneiras de como pensar e reagir em situações de perigo, reduzindo então a ansiedade e o medo principalmente de situações em que o paciente evita por conta das crises. É importante lembrar que a cura desta doença depende da sua gravidade e da dedicação do paciente ao tratamento, havendo pessoas que conseguem se curar totalmente ou controlar com maior facilidade os sintomas da doença.   
LEIA MAIS

Transtorno Bipolar



O que é? O Transtorno Bipolar é um transtorno mental que causa mudanças constantes de humor. As pessoas alternam entre períodos de muito bom humor e períodos de irritação ou depressão. As chamadas "oscilações de humor" entre a mania e a depressão podem ser muito rápidas e podem ocorrer com muita ou pouca frequência. Os sintomas do Transtorno Bipolar são graves, podendo resultar em relacionamentos prejudicados, desempenho insatisfatório no trabalho e na escola e até mesmo suicídio. Entretanto o Transtorno Bipolar pode ser tratado e as pessoas conseguem ter uma vida saudável e produtivas.   Causas Há fatores conhecidos por desempenharem papel no risco para essa doença mental, como: Hereditariedade: o transtorno bipolar ocorre mais freqüentemente em membros da mesma família e pode ser levado por gene herdado de um ou ambos os pais. Alterações químicas: pessoas com transtorno bipolar têm alterações químicas no cérebro que estão sendo estudadas para saber se são causa ou efeito. Estresse: situações que causam estresse incomum podem engatilhar episódio maníaco-depressivo. Quem sofre de transtorno bipolar é mais sensível as dificuldades e fatores externos que podem agravar seus sintomas e potencializar o paciente para nova uma crise. Mudanças de ambiente, traumas de violência e abuso sexual são fatores que determinam aumento do sofrimento do indivíduo ou podem trazer à tona mais um novo ciclo da doença.   Sintomas As pessoas com Transtorno Bipolar vivenciam estados emocionais intensos fora do comum em períodos distintos chamados "episódios de humor". Um estado de supraexcitação ou alegria exagerada é chamado de episódio maníaco e um estado extremamente triste e de desesperança é chamado episódio depressivo. Às vezes, um episódio de humor inclui ambos os sintomas de episódios maníacos e depressivos. Isto é chamado de estado misto. Portadores do Transtorno Bipolar também podem ficar explosivos e irritados durante um episódio de humor. Mudanças extremas na energia, atividade, sono e comportamento acontecem juntos com estas mudanças de humor.  Uma pessoa pode estar tendo um episódio de transtorno bipolar se ele ou ela apresenta um número de sintomas maníacos ou depressivos ao longo do dia, quase todos os dias, por pelo menos uma ou duas semanas. Às vezes os sintomas são tão graves que a pessoa não consegue funcionar normalmente no trabalho, escola ou em casa Durante a fase de mania, a pessoa pode sofrer dos seguintes sintomas: •Sentir-se como “no topo do mundo” e ter abundância de energia;  •Parecer falar e pensar rapidamente; •Expor numerosas idéias; •Pensar que é invencível; •Ter comportamentos imprudentes ou perigosos para si e outros ao redor; •Ter delírios de fama; •Sofrer de falta de sono, ser facilmente distraída e freqüentemente irritável; Durante a fase depressiva, podem aparecer os seguintes sintomas: •Sentimento de falta de esperança; •Perda de todo o interesse em outras pessoas e atividades usuais; •Sofrer flutuação de peso; •Sentimento de cansaço contínuo; •Dormir mais que o comum ou ter insônia; •Queixa de dores inexplicáveis; •Problemas de concentração; •Risco de suicídio;   Tratamento O tratamento adequado para a pessoa com esse transtorno, consiste no auxílio médico (psiquiatra) que muitas vezes entrará com medicação e do auxílio do psicólogo.  Através da psicoterapia o paciente aprende a lidar com situações e pessoas de modo a evitar episódios maníaco-depressivos. Uma pessoa com transtorno bipolar, que recebe tratamento apropriado, pode ter vida normal em casa e no trabalho. Os amigos e familiares desempenham papel fundamento no tratamento do transtorno bipolar, pois as pessoas com esse transtorno precisam de apoio e encorajamento.       
LEIA MAIS
Precisa de ajuda?
Então esta esperando o que? Agende um horário!